intimidade com Deus - A adoração a Cristo nos torna verdadeiros guerreiros

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Prefigurações do mistério da cruz, ato perfeito de adoração

“Como termo e ápice da vida terrestre de Jesus, o sacrifício da cruz é Sua obra por excelência, pela qual glorifica o Pai de maneira completamente única. Esse sacrifício representa a obra que realmente identifica os direitos soberanos que Deus tem sobre o homem e sobre toda a terra.”

Monte Moriá – sacrifício de Abraão

Um dos primeiros montes da Terra Santa citado nas Escrituras, o Moriá ficou conhecido como o Monte da Provação. Foi nesta elevação que Abraão levou seu filho único, Isaac, ao sacrifício por amor a Deus (Gn 22,2-18)
A Adoração a Cristo nos torna verdadeiros guerreiros
Foto ilustrativa: Daniel Mafra/cancaonova.com

Monte Moriá – sacrifício de Isaac

Foi também no Moriá que o Rei Salomão construiu o Templo de Deus. Hoje, o Moriá é conhecido como “Montanha das Lá- grimas”. Após a destruição do templo, restou apenas uma muralha na qual judeus de todo o mundo choram seu exílio, o Muro das Lamentações.
No momento mesmo em que tudo parece correr bem na vida de Abraão, isto é, quando, depois de longa espera, pode ele, enfim, gozar da presença do filho da promessa, crescendo sob seus olhos, que quer Deus provar a fidelidade de seu amigo Abraão e assim, sondar-lhe os sentimentos do coração. Como poderia, pois, Deus contradizer-se e exigir que Isaac fosse oferecido em holocausto? Por que tal mudança na vontade de Deus, se Abraão nada fizera para merecer tal castigo?
“Pede Deus a Abraão que imole por Ele, unicamente por Ele, porque esta é a Sua vontade, aquilo que Abraão mais ama, que é mais intimamente ligado ao seu coração de homem, que dá pleno sentido à sua vida de patriarca, que constitui a esperança única de sua velhice, Isaac. Além disso, exige Deus de Abraão a força heroica de executar pessoalmente este sacrifício”.

Amizade com Deus

Deus quer que Sua vontade não seja apenas aceita com resignação; Ele quer, ao contrário, que Sua vontade seja aceita como a vontade de um amigo, que coopera livremente, ainda que o coração se sinta triturado no que tem de mais sensível, de mais íntimo e amável.
Somente Deus pode exigir de um amigo predileto tal holocausto, porque, de um lado, Ele é Deus; de outro lado, Autor da vida e da morte; e ainda de outro lado, o verdadeiro amigo de Deus, preferindo-O aos seus mais excelentes dons, torna-se, por isso mesmo, de tudo sacrificar, de tudo destruir, antes do que causar desprazer a Deus. Somente Abraão, como amigo predileto de Deus, é que podia aceitar semelhante vontade divina sem discutir, unicamente porque era a vontade d’Aquele que ele amava acima de tudo.
Sacrifício verdadeiramente interior, de três dias, que ele oferece a Deus na execução de Sua vontade. Esse holocausto interior de obediência é o do amigo que, em plena lucidez, em plena consciência, na obscuridade total da e no despojamento de uma esperança pobre, oferece a Deus seu tesouro vivo, justamente aquilo que, depois de Deus, ele mais forte e mais intensamente ama.

Atitude daquele que adora

O sacrifício do filho, pedido por Deus a Abraão, é inteiramente gratuito onde Deus exige de Abraão o seu único tesouro, oferecido sem reserva. O amigo de Deus deve, antes de tudo, oferecer interiormente o tesouro do seu coração. E se esta oferta interior é verdadeira, a Deus basta. Isaac foi restituído ao pai. À luz do sacrifício de Isaac no Monte Moriá compreendemos: 1. “Adorar é oferecer a Deus a pérola preciosa do nosso coração”; 2. Somente é capaz de realizar este ato de oferta quem é Amigo de Deus; 3. É necessário um caminho de lucidez e plena consciência da sua verdade interior; 4. Urge trilhar um caminho de conhecimento (experiência) de Deus por meio da oração. “À quem dá tudo, dá a Deus ainda mais”.
“Na adoração não mais me ocupo de mim mesmo, dos meus conflitos interiores, das minhas feridas, mágoas e dos meus problemas; mas, ao contrário, busco estar com os olhos fixos somente para meu Deus. Não me lembro mais de mim mesmo, porque Deus me tomou totalmente, porque, unicamente, ele é importante para mim, ele é o meu Senhor, o meu Salvador. O interessante é que, esquecendo-me de mim mesmo, torno-me presente para mim mesmo, torno-me verdadeiro, totalmente eu mesmo com tudo aquilo que está dentro do meu interior. Diante do Senhor não preciso de máscaras” (p.14).

Espírito Santo: amigo que revela os mistérios do Reino

(…) Nossa primeira atitude deve ser pedir o Espírito Santo e abrir o coração para que Ele nos ensine a falar com Deus. É Ele quem nos inspira a dizer palavras de gratidão ao Senhor. É ele quem nos faz tomar consciência do bem que o Senhor faz por nós. É ele quem nos convence do amor de Deus por nós. Quando vamos ao Senhor de coração sincero, o Espírito Santo organiza as coisas dentro de nós, pois nosso coração, na maioria das vezes, encontra-se agitado com muitos sentimentos, confuso, perdido e sem a intervenção do Espírito, que vem para ordenar e aquietar o nosso ser é impossível agradar a Deus. Só assim posso me tornar livre, voltar para Deus para amá-Lo por meio da oração” (p. 120).

“A disciplina gera santos” (D. Gambino)

(…) Nesta escola, é preciso disciplinar-se, pois “a disciplina gera santos” (D. Gambino). Para que a disciplina aconteça, é necessário que haja organização. Precisamos organizar a nossa vida em todos os sentidos: organizar nossa vida com Deus, nossa vida de trabalho, nosso interior, nossa casa. Enfim, faz-se necessário começar por essa retomada pela organização das mínimas às grandes coisas que envolvem a nossa vida. Na nossa vida nada deve ficar entulhado. A revisão de vida nos leva a uma maior intimidade com o Senhor, acalma nosso interior agitado, faz-nos perceber a ação da providência Divina em nossas vidas.” (p 112).

Fonte: Canção Nova

0 comentários:

Pesquisar neste Blog

Liturgia Diária

Liturgia Diária
Canção Nova

Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson
Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson
Bênção da reforma da Capela Santo Antônio

Como Retornar?

Como Retornar?
Dicas para voltar a ter intimidade com Deus

Missa de Cinzas - Fotos

Missa de Cinzas - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Seja um Padrinho Vem Cuidar de Mim

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Missa da Véspera de Natal

Missa da Véspera de Natal
Paróquia Menino Jesus de Praga

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração
Diácono Roberto Inocêncio

Visitantes

Ajude o Laureano

Oração de exaltação a Santa cruz

Terço

Terço
Mãe da Divina Misericórdia

Mensagem

Campanha Vem Cuidar de Mim

Campanha Vem Cuidar de Mim
Assine aqui o abaixo assinado!

Conselhos do Papa Francisco

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Reflexão

Frei Galvão

Frei Galvão
História

O Papa Francisco

O Papa Francisco
Vatican

Bíblia Católica On Line

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
armaduradocristao@gmail.com

Horário das Missas na Paróquia Menino Jesus de Praga - Bancários

  • Quinta-feira - 19:30hs
  • Sábado - 19:00hs
  • Domingo - 8:00 , 11:00 e 17:00hs
  • Telefone: (83) 3235.5120

A ARMADURA DO CRISTÃO

A ARMADURA DO CRISTÃO
Leia Efésios 6, 10-20

Adoração ao Santíssimo

Adoração ao Santíssimo

Salmos on Line

Menino Jesus de Praga

Arquivos Obras Timbó