Papa fala da Liturgia da Palavra: ouvir e acolher a Palavra de Deus

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Papa explicou o itinerário da Palavra de Deus: do ouvido passa ao coração e depois às mãos, ou seja, à prática na vida cotidiana

Da Redação, com Boletim da Santa Sé
Papa na catequese desta quarta-feira, 31 / Foto: Reprodução Youtube – Vatican News

A Liturgia da Palavra, uma das partes da Santa Missa, foi o tema da catequese do Papa Francisco nesta quarta-feira, 31. Seguindo no ciclo de reflexões sobre a Missa, hoje Francisco destacou a importância de se alimentar regularmente da Palavra de Deus para seguir nesta peregrinação terrena.
Francisco comentou que tantas vezes, enquanto a Palavra é proclamada na Missa, as pessoas reparam nas outras e fazem comentários diversos, o que não deve ser feito, uma vez que assim não se ouve a Palavra de Deus. “Quando se lê a Palavra de Deus na Bíblia – a primeira Leitura, a segunda, o Salmo Responsorial e o Evangelho – devemos ouvir, abrir o coração, porque é o próprio Deus que nos fala, e não pensar em outras coisas ou falar de outras coisas”, disse.
Segundo o Papa, na Liturgia da Palavra as páginas da Bíblia deixam de ser um escrito para se tornar palavra viva, pronunciada por Deus. “É Deus que, por meio da pessoa que lê, nos fala e interpela a nós que escutamos com fé”. Mas é preciso também abrir o coração para receber a palavra, ressaltou o Papa. “Deus fala e nós nos colocamos à escuta, para depois colocar em prática o que ouvimos. É muito importante ouvir”.
O Santo Padre destacou que às vezes as pessoas podem não entender bem porque algumas leituras são um pouco difíceis, mas então Deus fala o mesmo de um outro modo, de forma que é preciso estar em silêncio e ouvir a Palavra de Deus.
“Não se esqueçam disso. Na Missa, quando começamos as leituras, ouçamos a Palavra de Deus”, disse o Papa, frisando que de fato se trata de uma questão de vida, como recorda um trecho do Evangelho de Mateus: “não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4, 4).
O Papa comentou ainda um outro aspecto: a proclamação litúrgica das mesmas leituras, com os cantos deduzidos da Sagrada Escritura, exprime e favorece a comunhão eclesial. Entende-se, portanto, porque são proibidas escolhas subjetivas, como omissão de leituras ou substituição com textos não bíblicos. “Substituir aquela Palavra com outras coisas empobrece e compromete o diálogo entre Deus e o seu povo em oração”.
“A Palavra de Deus faz um caminho dentro de nós. Nós a escutamos com os ouvidos e passa ao coração; não permanece nos ouvidos, deve ir ao coração; e do coração passa às mãos, às boas obras. Este é o percurso que faz a Palavra de Deus: dos ouvidos ao coração e às mãos. Aprendamos essas coisas”.

Fonte: Canção Nova

Permitamos que a nossa alma toque na graça de Deus viva e presente no meio de nós

terça-feira, 30 de janeiro de 2018


“‘Filha, a tua fé te curou. Vai em paz e fica curada dessa doença’” (Marcos 5,34).

No Evangelho de hoje vemos duas situações de pessoas que necessitam extremamente da graça de Deus. A primeira situação é a da filha de Jairo que, com 12 anos, ainda uma adolescente, estava praticamente morta. Jairo dizia: “Minha filhinha está nas últimas. Vem e põe as mãos sobre ela, para que ela fique curada!”.
A segunda situação é a de uma mulher que, há 12 anos, sofria de uma hemorragia crônica. Essa hemorragia fazia dela impura, porque assim era a mentalidade da cultura judaica, e desse modo ela não poderia estar com as outras pessoas. Mas, ela tinha uma convicção: “Se eu tocar na roupa de Jesus, eu ficarei curada”.
A fé dessa mulher é a mesma fé que Jairo tinha. Se Jesus tocasse em sua filha, ela ficaria curada. Precisamos tocar em Jesus e precisamos permitir que Ele toque em nós.
Essa mulher venceu as barreiras, os preconceitos, passou por cima de seus próprios medos, temores e receios, foi ao encontro de Jesus e Ele ressuscitou a vida dela. A fé de Jairo [que ao toque de Jesus em sua filha, ela ficaria curada] operou a mesma graça. Jesus tocou e disse a menina: “Talitá cum. Menina, levanta-te!”. E ela levantou e ficou restabelecida.
Toquemos na graça, permitamos que a graça de Deus toque em nós. Ouvimos a Deus; ouvimos a palavra d’Ele, mas se não temos a sensibilidade da fé, da graça de Deus; Ele não consegue tocar e curar o nosso coração.
Todas as vezes que tocamos a Palavra de Deus com fé, ela nos cura. Todas as vezes que o nosso coração se abre e se deixa ser tocado, quando sensibilizado pela presença da graça, a Palavra de Deus cura, levanta e restabelece. Experimentemos ser curados pela graça de Deus.
Se nos faltam forças humanas, digamos: “Jesus, eu preciso ser tocado por Ti”. Aqui não é o toque das emoções, pelo contrário, é o toque da sensibilidade da alma. Mesmo na secura que a alma possa experimentar, não podemos tirar do Senhor a nossa confiança e a nossa esperança.
Permitamos ser tocados e curados; permitamos que a nossa alma, nosso coração, nossas doenças e enfermidades, tensões e preocupações toquem na orla, no manto, na graça de Deus viva e presente no meio de nós.

Deus abençoe você!

Precisamos reacender a chama da graça que está em nós

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Deus acende a graça da chama em nós, temos que cuidar para que essa chama não se apague

“Por este motivo, exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. Pois Deus não nos deu um espírito de timidez mas de fortaleza, de amor e sobriedade” (2Tm 1,6-7).

Hoje celebramos os santos Timóteo e Tito; bispos, discípulos de Paulo e, acima de tudo, seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo. Paulo escreveu duas cartas a Timóteo e uma a Tito, ricas em ensinamentos para a nossa vida cristã. Encontramos, tanto em uma carta como na outra, Paulo exortando, reanimando, dando vida a esses seus dois companheiros para que se mantivessem firmes na pregação do Evangelho, para que não deixassem apagar a chama da graça de Deus, que um dia o próprio Paulo acendeu no coração deles.
Essa é a nossa missão: Deus acende a graça da chama em nós, a chama do Espírito. Temos que cuidar para que essa chama não se apague, porque vêm muitos ventos contrários, e eles não têm mais força do que a graça de Deus.
Muitas vezes cedemos aos ventos contrários, não aquecemos, não inflamamos o fogo da graça de Deus que está em nós. Passamos por muitas tribulações, situações difíceis na vida; passamos por tempestades na vida, mas é aí que precisamos da graça. Não é para passar pela tempestade com a chama apagada, não é para passarmos pelas tribulações esmorecidos, tristes e desanimados.
Quando passamos por momentos difíceis na vida precisamos reacender, ainda mais, a graça de Deus que está em nós. Paulo não queria que seus discípulos, Tito e Timóteo, desanimassem da missão evangélica que lhes foi confiada.
Deus não nos quer desanimados, Ele quer que essa chama esteja tão viva, acesa em nós. Mas, também, deseja que reacendamos naqueles os quais deixaram essa chama se apagar. Que a chama da graça esteja viva, acesa no coração de cada um de nós.
Não sejamos causa de desânimo, sejamos causa de ânimo para os nossos irmãos. Não permitamos desanimar e nem desanimemos a ninguém no seguimento de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

Como aconteceu o processo de conversão de São Paulo?

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Vivamos a conversão, assim como São Paulo

O que entendemos por conversão? Será que essa palavra tem apenas um cunho religioso, ou podemos dizer que pode ser usada, também, em outro contexto? E sendo usada em outro contexto, ela pode ser usada também em cunho religioso? Parece confuso, mas a palavra conversão, na maioria das vezes é compreendida de maneira equivocada.
Quando falamos da conversão de São Paulo, quando falamos que “fulano de tal” se converteu, ou coisa parecida, falamos com um certo preconceito, ou seja, um conceito já pré-estabelecido dentro de nós. Falar de conversão em ambos os sentidos, religioso ou noutro contexto, não é falar de pegar sentido inverso ao caminho até então feito, mas falar de um retorno às origens. E foi justamente isso, que aconteceu com São Paulo na estrada de Damasco, como relata o capítulo 9 dos Atos dos Apóstolos.
Como aconteceu o processo de conversão de São Paulo?

Quem foi Paulo?

Paulo, na verdade, não pegou um caminho inverso, mas retornou às suas origens, para aí sim, poder trilhar um caminho que o levaria à meta do ser humano. Ou seja, viemos de Deus e voltaremos para Deus, como canta a liturgia da Igreja, que temos uma origem divina e um destino divino.
Falar de destino aqui, nada tem a ver com predestinação na qual não temos escolha, e que somos por Deus “escravizados ou condenados” a este destino, ou seja, estaríamos presos neste mundo esperando essa condenação predestinada. Na verdade, quando a Igreja diz de “destino divino”, ela fala justamente que, um dia, pouco tempo depois da nossa morte, quando nosso corpo ainda estiver quente, nós já estaremos diante do Justo Juiz, Nosso Senhor Jesus Cristo, para sermos, por Ele julgados. Neste sentido entende-se que saímos de Deus, nossa origem divina, pois por Ele fomos criados, e um dia estaremos diante d’Ele, mas não mais aqui nesta terra, e sim no nosso destino divino, para que lá possamos ser julgados pela vida que tivemos enquanto membros deste mundo passageiro.
Paulo, naquele bendito dia em que cai do cavalo, fica cego, e escuta a voz do Senhor dizendo: “Por que me persegues?”, ele tem o seu encontro pessoal com Jesus, e isso o faz voltar ao caminho da sua origem divina, para que esse caminho o levasse ao seu destino divino, o encontro derradeiro com Jesus Juiz. Conversão, no sentido religioso, não acontece apenas com uma atitude moral de, isso pode, isso não pode; nem mesmo com leis e doutrinas a serem obedecidas; mas com um autêntico encontro pessoal com Jesus, como nos ensina Bento XVI na encíclica “Deus caritas est”(Deus é amor). Conversão como a de Paulo de Tarso, é possível somente quando encontramos Aquele que nos criou (origem divina), o qual nos mostra a nossa meta, o Céu (destino divino).

Viva um caminho de conversão

Conversão é voltar à estrada que o pecado nos tirou. Conversão, como aconteceu com Paulo, é nos fazer ver Jesus no nosso caminho. Conversão é decisão de trilhar um caminho de vida, e não mais de morte como era antes o de Paulo. Conversão é saber ser criado por Deus, amado por Ele, e querer morar eternamente com Ele no Céu. Conversão é dizer com a vida, que estamos aqui somente de passagem, e que por isso, nada daquilo que é passageiro, poderá roubar-me o Céu. Conversão é dizer, sou de Deus, pois dele eu vim, e um dia eu quero voltar definitivamente para Ele.

Fonte: Canção Nova

A Palavra de Deus é semeada no nosso coração

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

 

Render-se à Palavra de Deus é o caminho da transformação e da luz, para a vida de cada um de nós

“O semeador semeia a Palavra. Os que estão na beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada” (Marcos 4,14-15).

A grande graça é esta: o Reino de Deus, a Palavra de Deus é semeada no nosso coração, acolhemos essa Palavra. Você está (lendo a esse texto), escutando a mim ou me vendo agora, porque está acolhendo a Palavra de Deus. Não semeio outra palavra ao seu coração, sem ser a Palavra de Deus.
Quando acolhemos, guardamos e meditamos a Palavra, ela cai no nosso coração, começa a crescer, produzir frutos e mudar a nossa vida. Escuto testemunhos de pessoas que dizem: “Padre, eu escutei, meditei o Evangelho e comecei a transformar a minha vida, e sou testemunho diante de muitos que conheço, que acolhem a Palavra de Deus com serenidade”. Com essa seriedade e profundidade, a Palavra começa a transformar a nossa vida.
As pessoas querem os nossos conselhos, as nossas orientações, querem uma direção para a vida delas, mas toda e qualquer direção que possamos dar para direcionar a nossa vida ou a de outras pessoas, vem da Palavra de Deus. Render-se à Palavra de Deus, colocar-se para viver essa Palavra, é o caminho da transformação e da luz, para a vida de cada um de nós. Temos que prestar atenção no seguinte aspecto: a Palavra de Deus está nos dizendo que satanás tira a Palavra que foi semeada em nosso coração, então, fiquemos atentos e não deixemos que a Palavra seja roubada!
Às vezes, você escuta todos os dias o Evangelho, medita a Palavra de Deus, mas as distrações, preocupações, tensões, as situações que vivemos na vida: roubam, esmagam, sufocam, retiram a graça da Palavra de Deus do nosso coração.
Não nos deixemos levar pelas preocupações, pelas ilusões do mundo. Não nos deixemos levar pelos prazeres do mundo, para que a Palavra de Deus não perca a força transformadora que exerce em nossa vida, e em nosso coração.
Deus quer que a Sua Palavra produza frutos na nossa vida; trinta por um, setenta por um, cem por um; aqui não importa a quantidade, e sim que nós cuidemos para que a Palavra de Deus seja cultivada, e assim, possamos colher muitos frutos, porque a Palavra de Deus é vida eterna para nós.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

A força do Rosário no processo de cura e libertação

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

A oração do Santo Rosário nos protege e nos dá força

Não tenho duvidas em afirmar que depois da Eucaristia, o meio mais eficaz para combater ao demônio, as suas tentações, e desterrar os seus planos perversos, é a Oração do Santo Rosário!
E por que o Santo Rosário tem uma força tão eficaz e poderosa contra o demônio?
-A-força-do-Rosário-no-processo-de-Cura-e-Libertação
Foto Ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Por que rezar o santo terço?

Primeiro, porque quando rezamos o Santo Rosário (ou o terço), nós estamos meditando na vida, a paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e, é nesse  contemplar, recordar e rezar, que encontramos a força do Rosário!
Segundo, porque depois nós estamos recorrendo a Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe! E o fato de recorrermos à ela como mediadora das graças, e das necessidades que trazemos, provoca uma grande ira ao demônio e, também, revela sua grande impotência e medo diante da Virgem Maria!
Portanto, a oração do rosário nos leva a caminhar, e nos coloca dentro do próprio Evangelho, revelando a centralidade de Cristo! Nos coloca ao lado Daquela que o demônio jamais conseguiu manchar com o pecado, pois ela é a Imaculada Conceição, nos coloca debaixo da proteção Daquela que carrega sobre si o princípio Eterno de Deus que diz: “​Porei​ ​ódio​ ​entre​ ​ti​ ​e​ ​a​ ​mulher,​ ​entre​ ​a​ ​tua​ ​descendência​ ​e​ ​a​ ​dela.​ ​Esta​ ​te​ ​ferirá​ ​a​ ​cabeça,​ ​e​ ​tu​ ​ferirás​ ​o calcanhar.”​ ​(Gn 3, 16).

O poder do rosário

O demônio não suporta a Virgem Maria, e tem mostrado isso diante de tantos relatos, que podemos testemunhar em nossos atendimentos de oração. O padre Gabriele Amorth, que foi um dos maiores exorcistas do nosso século, nos conta a seguinte história: “uma vez perguntei a satanás durante um exorcismo: ‘mas por que te assustas mais quando invoco a Nossa Senhora do que quando invoco a Jesus Cristo? ’
Respondeu: ‘porque me humilha mais ser derrotado por uma criatura humana, do que ser derrotado por Ele’”.
E ainda em um outro exorcismo, satanás disse através do possuído: “cada Ave-Maria do rosário é para mim um golpe na cabeça. Se os cristãos conhecessem o poder do Rosário, seria o meu fim”.
Um outro renomado exorcista, padre Francesco Bamonte, nos conta experiências reveladoras sobre a força do rosário e da Virgem Maria sobre o demônio: “na minha experiência de exorcista, notei que nenhuma oração extra-litúrgica é tão odiada, temida e hostilizada pelo demônio como o Santo Rosário. Um dia, enquanto eu pegava o terço para iniciar o ritual do exorcismo sobre uma possessa, o demônio exclamou:
– ‘É uma coisa que não suporto, não suporto! Aquele estúpido velho apelidara-a bem, tinha-lhe dado o nome certo: chamava-lhe “arma”, porque é uma verdadeira arma. Uma verdadeira arma contra nós’.
– Eu disse: ‘Em nome de Jesus, quem é o estúpido velho a que te referes?’
– ‘E ele: “Pio”
– ‘Padre Pio de Pietrelcina?’
– ‘Sim!’
– Então, eu rebati: ‘Não é um estúpido: é inteligente, sábio e devoto.’
– E ele: ‘Para nós é um estúpido. Ainda agora, aquele estúpido trabalha ao lado do Nazareno e Daquela Mulher que está lá em cima.’
– ‘Como se chama aquela mulher que está lá em cima?’
– ‘Chama-se como esta (e dirige um palavrão à pessoa possessa que se chamava Maria).’’
Padre Francesco Bamonte, também descreveu diversas frases que o demônio revelou durante os exorcismos, na qual destaco três:
“Cada conta desse terço, com que vós rezais, é para nós uma chicotada, queima-nos.”
“Quem se agarra a esta (e procurou arrancar o terço que eu tinha posto ao pescoço da pessoa possessa), nunca se perderá.”
“Quando contemplais os mistérios daquele terço, fico doente. São bastonadas! Arranca de mim muitas, muitas almas. Porque é Sua. Porque é Daquela.”

Os santos rezam diariamente o rosário

E diversos são os santos que tiveram experiências pela força da oração do rosário:
São João Maria Vianney dizia: “Com esta arma, afastei muitas almas do diabo.”
Santo Antonio Maria Claret: “Felizes as pessoas que rezam bem o Santo Rosário, porque Maria Santíssima lhes obterá graças na vida, graças na hora da morte e glória no Céu”.
Santa Teresinha do Menino Jesus: “Enquanto o Rosário for rezado, Deus não poderá abandonar o mundo, pois essa oração é poderosa em Seu coração”.
São Miguel Febres: “Um cristão sem Rosário é um soldado sem armas”.
Grandes ensinamentos, também, podemos aprender sobre a Virgem Maria e o Santo Rosário, através da Irmã Lucia, uma das crianças para qual a Virgem Maria apareceu em Fátima.
Assim irmã Lucia nos ensinou sobre o Rosário:
“Não há problema por mais difícil que seja: seja temporário e, sobretudo, espiritual; seja referente à vida pessoal de cada um de nós ou à vida de nossas famílias, do mundo ou comunidades religiosas, ou à vida dos povos e nações; não há problema, repito, por mais difícil que seja, que não possamos resolver agora com a oração do Santo Rosário (…). Por isso, o demônio fará todo o possível para nos distrair dessa devoção; nos colocará uma multidão de pretextos: cansaço, ocupações etc., para que não rezemos o Santo Rosário (…).
“O Rosário é a arma de combate das batalhas espirituais dos últimos tempos”.

O rosário e a cura e libertação

É por isso, meus irmãos, que eu não preciso dizer absolutamente mais nada sobre a força do Rosário e sua eficácia, quando falamos de processos de cura e libertação. É certamente a oração mais recomendada a ser praticada depois da Santa Missa!
Digo mais: para uma pessoa que vive algum tipo de influência diabólica, seja ela qual for; se a mesma participar fielmente e em estado de graça (sem pecados mortais) da missa diariamente, e rezar com fé e devoção o Santo Rosário diariamente, ela obterá a sua libertação definitiva muito rapidamente!
É isso que, em geral, recomendo às pessoas que acompanho, e tenho visto a eficácia e a força libertadora do Senhor agindo sobre essas pessoas!
Faça a experiência da oração do rosário diante das suas dificuldades, e depois conte-me as graças que alcançou.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

Devemos ter coragem de sair da zona de conforto e progredir

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Não fique no plano das promessas tenha coragem de progredir

Entra ano e sai ano e as promessas se tornam grandes e muitas vezes irreais. Projetos são idealizados e não concretizados. E a frustração e o desânimo tornam-se companheiros cada vez mais frequentes.
Que tal iniciar o ano de uma forma diferente? O que você deseja fazer neste ano que não fez? Pense em algo.
Devemos ter coragem de sair da zona de conforto e progredir
Foto Ilustrativa: Arquivo CN/cancaonova.com

Agora, pense no que você precisa fazer para que esse projeto se realize, e não fique apenas no papel. Pensou? Aqui é preciso gastar neurônio. Traçar um caminho real e não imaginário, do que eu preciso fazer para alcançar meu objetivo. Por exemplo. Quero trocar de carro: para trocar de carro eu preciso saber o valor do meu atual e o valor do carro que eu desejo comprar. Depois de saber o valor da diferença, é necessário saber onde poupar. Onde poderia diminuir a minha despesa? Nos gastos com refeição e saídas noturnas aos finais de semana? Com aquele lanche que compro todos os dias quando saio do trabalho, ao passar naquela padaria maravilhosa? Na conta do celular? Seja real, verdadeiro e prático. Desse valor que poderá ser poupado, onde será bem aplicado para a troca do carro? Talvez um consórcio. Tudo isto poderá ser realizado ao longo do ano de 2018, até que a troca seja feita. Ótimo! Já temos um planejamento anual. No entanto, existe um erro nisso tudo. Afinal de contas, muitos brasileiros já fazem isso e, todo o planejamento não sai do papel. E ao chegar ao final do ano, permanece com o mesmo carro, frustrado e sem dinheiro.

O segredo está no hoje!

Todo esse planejamento está projetado para um futuro. Que pode chegar ou não. E o problema do futuro é que não vivo ele. E quando vivo, corro o grande risco de desenvolver um transtorno de ansiedade. Então, o que desse planejamento eu posso realizar hoje? Se desejo vender, é preciso anunciar a venda. Tirar foto do carro, anunciar na internet, colocar uma placa de “vende-se”! Tudo isso eu posso fazer AGORA! Ficar apenas no projeto, não impulsionará ninguém chegar a lugar algum. É preciso saber onde quero chegar, como chegar, mas acima de tudo, dar a partida. Sair do lugar, dar o primeiro passo! A sua mente só saberá que você quer chegar a algum lugar, quando já estiver no caminho.
Vamos pensar naquela pessoa que deseja muito, ao final do próximo ano, participar da corrida de São Silvestre ou de alguma meia maratona que acontece nas grandes capitais. Se ela desejar e planejar tudo o que precisa fazer, como: mudar a alimentação, dedicar um tempo do seu dia para fortalecer a musculatura na academia e ir para a rua correr; se essa pessoa planejar mas não iniciar esse processo, então, chegará ao final do ano e ela não terá condições físicas para participar da corrida. Tudo ficará apenas no desejo e no pensamento.

Planeje, mas execute

Por isso, não adianta planejar e não executar. E o executar precisa ser agora, no calor da motivação, da criatividade!
Outro ponto determinante é sobreviver no percurso da execução do projeto. Sair da zona de conforto é desgastante, instável e inseguro. Por esses motivos, muitas vezes desistimos no meio do caminho. Pois o meio do caminho é este lugar em transição, que não é mais de onde eu estava, mas também, não é onde eu desejo chegar. Essa transição gera a angústia da instabilidade, do não saber se vai dar certo, “se eu vou conseguir”. No entanto, se eu ficar preso a emoção da angústia e insegurança, provavelmente ficarei vulnerável as situações externas e assim desistirei. Se seu projeto é bom; real; possível de se realizar; não fique preso às emoções próprias da fase de transição. Tenha coragem de dar o primeiro passo! De sair do ponto de partida e perseverar na transição.
Não deixe para ir à academia amanhã; fazer dieta na segunda; poupar dinheiro no próximo mês, amar seus filhos, pais, amigos e esposo (a) amanhã. Viva o hoje! É isso que você tem – o hoje; preciso sonhar e planejar o amanhã, mas se não colocar em prática hoje, tudo ficará sempre no “amanhã”. Inicie e persevere!

Fonte: Canção Nova

Jesus tem autoridade sobre os demônios

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Se não ficarmos com Jesus, não teremos autoridade, unção, a graça necessária para pregar

“Então Jesus designou Doze, para que ficassem com Ele e para enviá-los a pregar, com autoridade para expulsar os demônios” (Marcos 3,14).

A messe precisa de operários; Jesus precisa de apóstolos para pregar, anunciar o Reino de Deus em Seu nome e para expulsar os demônios do mundo.
Como podemos anunciar a Palavra de Jesus? Como podemos expulsar todos os demônios que perturbam o mundo em que vivemos? É preciso fazer aquilo que Jesus está nos dizendo: “É necessário ficar com Jesus”. Se não ficarmos com Jesus, não teremos autoridade, unção, a graça necessária para pregar. Vamos até falar, repetir o que está na Bíblia, mas não pregaremos a unção, não pregaremos na graça, com a eficácia, como Jesus deseja que nós preguemos a Sua Palavra.
É necessária essa unção, que vem da convivência, da vivência, da comunhão de vida em Jesus. É preciso expulsar o mal, as ações dele do meio de nós.
Por que não conseguimos expulsar o mal? Porque só Jesus tem poder e autoridade sobre os demônios. E, muitas vezes, não estamos com Jesus, não permanecemos com Ele, mas, os apóstolos foram escolhidos e chamados, primeiramente, para permanecerem com Jesus e depois cumprirem a missão, e não o contrário, ou seja, pregar ou expulsar os demônios antes de permanecerem com Ele.

Deus abençoe você!

Em Missa em Temuco, no Chile, Papa destaca dom da unidade

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Santo Padre saudou os povos mapuche e outros povos indígenas locais, dando ênfase na homilia a uma diversidade reconciliada

Da Redação
Papa durante homilia na Missa de hoje em Temuco, no Chile / Foto: Reprodução TV Canção Nova
A homilia do Papa Francisco em Temuco, no Chile, nesta quarta-feira, 17, foi focada no dom da unidade. Falando em uma região onde encontram-se os povos indígenas mapuche que reivindicam seus direitos bem como o reconhecimento de sua cultura, o Santo Padre frisou que não se pode cansar de procurar o diálogo para a unidade.
A Missa foi celebrada no aeródromo de Maquehue, local onde, segundo o Papa, verificaram-se graves violações de direitos humanos. “Oferecemos esta celebração por todas as pessoas que sofreram e foram mortas e pelas que diariamente carregam aos ombros o peso de tantas injustiças. O sacrifício de Jesus na cruz está repleto de todo o pecado e do sofrimento dos nossos povos, um sofrimento a ser resgatado”. 
Partindo do Evangelho em que Jesus pede ao Pai que “todos sejam um só”, Francisco concentrou a homilia no dom da unidade. “Não permitais que nos vença o conflito nem a divisão”, frisou o Papa, que alertou sobre as tentações que podem aparecer e “contaminar” esse dom.
A primeira tentação citada por Francisco foi confundir unidade com uniformidade. O Santo Padre explicou que Jesus não pede ao Pai que todos sejam iguais, uma vez que a unidade não nasce da neutralização das diferenças. “A unidade é uma diversidade reconciliada, porque não tolera que, em seu nome, se legitimem as injustiças pessoais ou comunitárias”.
Cerca de 150 mil pessoas participaram da Missa com o Papa em Temuco / Foto: Reprodução TV Canção Nova-Vatican News

Depois, o Santo Padre falou de duas formas de violência que, em vez de fomentar os processos de unidade e reconciliação, acabam sendo uma ameaça a eles. “Em primeiro lugar, devemos estar atentos à elaboração de acordos ‘lindos’, que nunca se concretizam. Palavras bonitas, planos terminados sim – e necessários – mas que, por não se tornar concretos, acabam por ‘borratar com o cotovelo o que se escreveu com a mão’. Isto também é violência, porque frustra a esperança”.
Outro ponto mencionado pelo Papa foi sobre a violência e destruição, que acabam por tirar vidas humanas. Isso não pode ser a base de uma cultura do reconhecimento mútuo, ponderou. “Não se pode pedir reconhecimento, aniquilando o outro, porque a única coisa que isso gera é maior violência e divisão. A violência clama violência, a destruição aumenta a fratura e a separação. A violência acaba por tornar falsa a causa mais justa. Por isso, digamos ‘não à violência que destrói’, em qualquer uma dessas duas formas”.
Francisco concluiu a homilia convidando os fiéis a repetir o pedido de Jesus ao Pai. “Que também nós sejamos um só; fazei-nos artesãos de unidade”.
Após a Missa, o Papa segue para a Casa “Madre de la Santa Cruz”, onde terá um almoço com alguns habitantes da Araucania. Ainda hoje, ele retorna a Santiago para o encontro com os jovens e, à noite, a visita à Pontifícia Universidade Católica do Chile. 

Fonte: Canção Nova

Quais são as metas? O que trazemos no coração que precisamos curar?

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Defina suas metas e reze, porque o Senhor lhe trará a cura

Amados irmãos e irmãs, chegamos em um tempo onde somos convidados a ter metas concretas, para poder superar os desafios e vencer as batalhas para alcançar a cura, o milagre e a bênção a qual precisamos.
Para aqueles que têm lutado, sofrido as demoras de Deus, e não encontram a graça da cura, da libertação, e da solução dos seus problemas; convido a colocarem os seus pedidos, sob a intercessão de Nossa Senhora ou dos santos de sua devoção.
Quais são as metas? O que trazemos no coração que precisamos curar?
Foto Ilustrativa: kieferpix by Getty Images

Reze e peça proteção

Faça um altar em sua casa, e “trave uma batalha” a favor das causas impossíveis. Eu tenho feito isso na minha vida e tem sido uma fonte de bênção, de milagre, de cura e libertação; diante de todos os impossíveis que tenho vivido.
É uma meta a ser alcançada, mas com radicalidade. Tenho feito o jejum de Daniel: 21 dias de combate e, a quaresma de São Miguel. Mantenho-me firme no combate da oração, e além dessas orações, faço também: a novena das 90 Salve-rainhas e tem sido uma bênção. O essencial é rezar para poder combater, sejam combates prolongados, combates menores de sete dias, sete semanas, ou até doze meses, para tal tenho como exemplo, a novena do ventre de Maria, que nos leva a doze meses de oração em prol de uma causa.
Encontrei nesse caminho de oração (e combate) – a graça. E, bendigo a Deus por esse momento que estamos vivendo e quero orar por cada um de vocês.
“Pai amado; Pai bendito! Todos esses que oram conosco, recebe a cada uma de suas intenções, as metas que eles coloram sob a intercessão da  Virgem Maria, e/ou do seu santo de devoção, onde clamarão todos os dias sem cessar, com metas definidas até o milagre alcançar. Nós invocamos o poder do nome de Jesus, e o poder das suas santas e benditas Chagas, meu Senhor”.

Acredite no poder de Jesus

Em nome de Jesus, cada um de nós, não terminará o combate sem que, o Senhor, tenha nos dado uma resposta. A resposta do Senhor chegará, por isso, creiamos e não paremos de lutar. Acreditemos e confiemos que Deus tem milagres para realizar. Deus não demora, Ele capricha!
Peçamos ao Senhor, para quebrar toda desesperança, que se instalou no nosso coração. Retomemos a força e a vitalidade profética para que, voltemos a rezar e combater. Que não nos contentemos com a derrota. Saibamos que, Deus não se contenta com o mal, com a derrota, a miséria, a crise, ou o sofrimento de qualquer filho.
Nós devemos tomar posse da sua palavra que diz  “todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus”. Devemos crer que essa situação que causou desesperança, pânico e agonia, na vida de alguém, ou de uma família; essa situação não é contra eles, e sim, a seu favor.
“Dessa causa, meu Deus, sei que Tu podes tirar um grande proveito, realizando o milagre e a cura que Seus filhos tanto precisam”.
É hora de fazer todas as coisas! Quem não tem , tenta resolver sozinho; mas, quem tem fé, faz a dois, porque resolve a situação com Deus. Agora, não é você lutando sozinho, é Deus lutando contigo. É este seu santo de devoção lutando contigo;  é a santíssima intercessão da Bem-aventurada, Virgem Maria, com a Sua onipotência súplica ao coração do Pai e do Filho, intercedendo para que o milagre seja realizado.
Não rompa os seus propósitos com Deus; e não pare de lutar, acreditar e orar!

Deus não te desampara

Deus está contigo e está por você; o Senhor está combatendo e, essa é a garantia que temos: sempre que fazemos a nossa parte, Deus faz a parte d’Ele.
A Palavra de Deus diz: “nem todos foram curados no templo de Jesus; nem todos foram libertados; nem todos os endemoniados encontraram a libertação; nem todos os mortos ressuscitaram”. Mas, a Palavra de Deus diz (com garantia de 100% de acerto) que: todos os que buscaram ao Senhor, combateram e permaneceram n’Ele; nenhum voltou de mãos vazias. O Senhor não deixou ninguém sem resposta e, nós, não ficaremos sem o sinal de Deus. A nossa família não ficará sem o sinal de Deus, por isso, oremos sem cessar.
Em todas as circunstâncias, apresentemos nossas súplicas mediante oração e ação de graças; e o Deus da paz nos consolará com a bênção, a cura, e com a libertação. Age Senhor com poder!
Sinto em meu coração, o desejo de desafiar você, pois é Deus que está me dando essa voz profética, essa palavra de libertação, de poder. E, agora, eu a profiro sobre você, com o poder e a unção de Deus. Desafio você a escrever num papel, cinco intenções e causas , que você tem pedido há muito tempo. Coloque na sua Bíblia no Evangelho de Marcos 4. Reflita com essa palavra: “a semente pode demorar, mas ela vai germinar, ela tem o seu tempo de germinar. Ela germinará na sua vida 100%, no tempo de Deus. Como diz na palavra ‘receberemos no tempo certo a graça de Deus’”.
Leia Marcos capítulo 4. Veja o tempo da semente, porque cada semente tem o seu tempo. E, você fará o seu propósito de sete dias, nove dias, sete semanas, ou de doze meses, e o Senhor te responderá com o milagre. Ele não falhará e não faltará a graça d’Ele!

Rezemos

“Levanto o estandarte do madeiro da cruz sobre suas causas, e peço ao Senhor na sua infinita misericórdia, que te revista com a coração do sangue, revista a sua família com a couraça do sangue preciosíssimo do nosso Senhor Jesus. Que Ele guarde cada uma dessas cinco intenções, dentro do coração vazado pela lança, e jorre misericórdia, milagre, cura e libertação sobre a tua vida.
Obrigada Senhor, porque o Senhor está consolando e libertando os aflitos. Bendito seja o Teu Nome! Deus que cura os enfermos e que devolve a dignidade. Bendito seja Deus, que restaura a força e dá vitória a todos aqueles que passam por processos injustos”.

Fonte: Canção Nova

Sejamos servos da graça de Deus

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

 

Viver o espírito da graça é saber entender primeiro a pessoa humana

O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado” (Marcos 2,27-28).

O sábado representa a lei, a tradição para a religião judaica. É verdade, o sábado tem um valor sagrado, mas ele não é mais sagrado do que a criatura humana.
Não é para o homem ser servo do sábado e nem servo da lei, precisamos ser servos da graça de Deus, porque, se nos deixarmos escravizar pela lei ou praticarmos a lei pela lei, não iremos viver a graça.
Muitas vezes, estamos presos aos rituais, às normas; estamos cobrando “A” por “B”, queremos que as pessoas sejam dessa forma, porque é isso que exigem.
Não se trata de tornar-se uma pessoa relaxada, relapsa, relativista, que trata tudo de qualquer maneira. É preciso ter seriedade, ter uma direção na vida, uma luz por onde nós devemos caminhar. Isso tudo com o olhar da graça.
Na vida tem que ter horário para tantas coisas: horário para chegar, para comer, horário para isso e para aquilo, nessa sentido, pensemos assim: se na nossa casa estabelecêssemos que o horário para tomar banho é às 18h; mas, se não foi possível tomar banho nesse horário, não sejamos tão  rigorosos, tomemos às 18h30 ou mesmo às 19h. Entenda que não foi possível; eu dei o exemplo do banho, mas poderia ser o exemplo de tantas coisas da vida.
Algumas relações acabaram-se, muitas coisas na nossa vida destruíram-se, porque relaxamos ou deixamos tudo de qualquer jeito. Não levamos a sério os preceitos, os compromissos que precisamos ter, ou levamos tudo a “ferro e fogo”, levamos tudo ao “pé da letra”.
Acumulamos as coisas, cobramos “isso e aquilo”, mas, viver o espírito da graça é saber entender primeiro a pessoa humana.
Há pessoas que estão mais a frente, conseguem viver as coisas de forma mais disciplinada, organizada; há outras que estão aprendendo. Há pessoas que conseguem ir à missa todos os dias, há outras que estão esforçando-se para irem a cada domingo. Há aqueles que, não conseguem rezar um rosário inteiro, e ainda, aqueles os quais conseguem rezar um terço, um Pai Nosso ou 10 Aves Marias.
É preciso tratar cada pessoa como humana, porque não é o peso da Lei que vai nos salvar ou nos condenar. O que vai nos salvar e nos condenar é, acima de tudo, o peso da graça, o peso de ter um coração que saiba entender o coração do outro, e que saiba dar o melhor de si, para viver a graça que se recebe de Deus.
Jesus é Senhor do sábado, é o Senhor da vida e a Ele devemos nos voltar de todo o nosso coração.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

Tenhamos a disposição de renovar o nosso coração

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018


Para acolher a Boa Nova de Jesus, para acolher aquilo que a graça do Espírito nos traz é preciso ter a disposição de renovar o coração

Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha; porque o remendo novo repuxa o pano velho e o rasgão fica maior ainda” (Mateus 2,21).

Toda a questão do Evangelho de hoje é porque os fariseus foram até Jesus perguntar o porquê os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuavam, mas, os seus discípulos não jejuavam. Por uma simples questão, porque muitos fazem só por fazer, muitos jejuam só por jejuar, rezam só por rezar.
Não é uma questão de relativizar, deixar o jejum ou a oração de lado. É preciso fazer o jejum com o espírito de jejum, fazer oração com o espírito de oração. É preciso praticar as coisas de Deus em espírito e verdade.
Não podemos deixar que a nossa religião ou o nosso ser religioso, seja apenas uma prática de rituais. Religião precisa ser espírito e vida, precisamos estar inteiros naquilo que vivemos e fazemos, porque senão, as coisas envelhecem. O “envelhecer” aqui não é de se tornar velho, é perder o sabor, o gosto, o sentido, a luz.
Estamos fazendo por fazer? Não! Estamos fazendo porque isso dá sentido e transforma a nossa vida. Se não renovarmos a nossa disposição, a nossa vontade, o nosso espírito, a nossa mentalidade a cada dia, vamos envelhecendo na fé, vamos perdendo o gosto, o sabor de viver a própria fé.
Não podemos julgar ninguém, mas, estaremos muitas vezes, no “banco de reservas ou na arquibancada” apenas olhando, vivenciando, não participando, porque cansamos, porque estamos paralisados ou porque não tem mais sentido para nós fazermos isso ou aquilo, porque o nosso coração envelheceu e não tornou-se novo.
Quando não temos um coração novo, um espírito renovado, uma disposição nova, uma mentalidade nova, não conseguimos acolher o novo.
Foi isso que aconteceu com os fariseus, com doutores da Lei e muitos da época de Jesus. Eles tinham a disposição, mas a velha disposição. Eles tinham uma vontade, porém, uma vontade velha e paralisada. E quando a Boa Nova chegou, quem estava com o coração velho recebeu a Boa Nova e a estragou. Por isso, Jesus dá o exemplo do vinho novo, porque para vinho novo os odres têm que ser novos, senão aquele odre que está velho estraga o vinho novo.
Para acolher a Boa Nova de Jesus, para acolher aquilo que a graça do Espírito nos traz, é preciso ter a disposição de renovar o coração, a mentalidade, renovar aquilo que somos por dentro para que possamos acolher a novidade de Deus.
Deus não nos renova porque, muitas vezes, não nos deixamos ser renovados, transformados pela graça e pela novidade do Evangelho que faz nova todas as coisas.

Deus abençoe você!

Jesus tem o poder de nos purificar

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Aproximemo-nos de Jesus, porque, Ele tem o poder de nos purificar, perdoar e nos renovar

“Um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: ‘Se queres, tens o poder de curar-me’. Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: ‘Eu quero: fica curado!’ (Marcos 1,40-41).
No Evangelho de hoje, queremos olhar para dois personagens, o primeiro deles é o leproso; cheio de humildade e confiança no poder e na graça que vem de Jesus. Ele se aproxima de Jesus e pede: “Senhor, Tu tens o poder de curar-me, de limpar-me, de purificar-me, o poder de me renovar, e fazer de mim um homem novo”.
A lepra deixava esse homem afastado, marginalizado, ele não podia viver em meio aos outros homens, por isso, ele não queria mais viver nessa situação e confia que Jesus pode transformá-lo.
Por mais que estejamos no meio uns dos outros, precisamos estar próximos de Deus, juntos d’Ele. Às vezes, aquilo que carregamos em nós são as nossas manchas, os nossos pecados, o peso da nossa consciência; são situações mal resolvidas dentro de nós, são ressentimentos, mágoas, situações que nos distanciam de Deus, de nós mesmos e uns dos outros. Vamos vivendo à margem das pessoas, criando a nossa própria redoma, e as pessoas vão se afastando de nós.
Qualquer tipo de lepra, aqui nem me refiro a lepra física, porque a lepra que nós conhecemos como hanseníase hoje tem cura, tratamento e assim por diante. Há uma lepra que se caracteriza por tantos elementos espirituais, psicológicos, etc., que fazem de nós pessoas leprosas no mundo, na sociedade na qual vivemos.
Jesus nos quer curados, e Ele é o outro personagem que acolhe o pedido, a súplica daquele leproso que vai ao Seu encontro, pedir para ser curado e transformado.
Vamos hoje ao encontro de Jesus, vamos pedir e suplicar a Ele: “Senhor, se queres, podes me curar, o Senhor pode me lavar, me purificar, me renovar”. Todos nós temos chagas dentro de nós, na alma, no coração, no corpo e precisamos do toque da graça de Jesus.
Jesus nos quer pessoas novas, curadas, renovadas e transformadas. Aproximemo-nos de Jesus, porque, Ele tem o poder de nos purificar, perdoar e nos renovar.
Deus abençoe você!
Fonte: Canção Nova

Jesus expulsa a força do mal que age em nós

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Jesus expulsa a força do mal da nossa vida, exorciza e manda ela para longe de nós

“A cidade inteira se reuniu em frente da casa. Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era” (Marcos 1,33-34).

Contemplando a ação do Mestre Jesus, estamos vendo que Ele vai ao encontro das nossas dores, das nossas enfermidades, dos nossos sofrimentos. Ele traz a cura, o alívio, o conforto e expulsa a causa das nossas doenças, das nossas enfermidades e do mal no mundo.
O mal se espalhou e tomou conta do mundo; ele está presente em nossas casas, em nossa vida, em nossa sociedade, nos meios de comunicação. O mal está espalhando-se cada vez mais.
Jesus expulsa o mal, porque sabe que ele nos arruína. O maligno, quando age no meio de nós, espalha as suas maldades de diversas maneiras. Quando uma pessoa está doente, não quer dizer que o poder do mal esteja sobre ela; fisicamente e psicologicamente falando, ela se sente mal.
É possível estarmos enfermos, mas estarmos bem e, muitas vezes, é possível estarmos com a nossa saúde maravilhosa, e mesmo assim, não estarmos bem.
Estar bem é estar com o espírito em paz, com o espírito em Cristo. O maligno quer deixar o nosso espírito perturbado, agitado; quer nos deixar confusos, divididos; e ficamos mal quando estamos confusos, divididos e agitados.
Esse é o mal que nós precisamos combater! Jesus expulsa a força do mal da nossa vida, exorciza e manda ela para longe de nós, e não permite que as forças do mal, que os demônios falem. Quando os demônios falam, tomam o comando da nossa vida, colocam confusão na nossa mente, colocam acusação dentro de nós. O mal está soltando, vociferando acusação contra o outro, falando mal do outro, está expelindo a força do mal em nós.
A boca fala daquilo que o coração está cheio, e se o coração está cheio do bem, o bem vai sair de nós; porém, se o coração foi tomado pelas forças do mal, o mal vai sair de nós. O mal que sai de nós deixa as pessoas ruins.
Muitas pessoas ficam más, com o mal que há em nós, muitas vezes, vociferamos. Sendo assim, permitamos que Jesus expulse toda a força do mal que age em nós, em nossa vida, para que sejamos o bem mesmo enfermos, mesmo passando por tribulações e dificuldades. Estaremos bem se estivermos na graça de Deus, dominados pelo Espírito de Deus.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

Pesquisar neste Blog

Como Retornar?

Como Retornar?
Dicas para voltar a ter intimidade com Deus

Liturgia Diária

Liturgia Diária
Canção Nova

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson
Bênção da reforma da Capela Santo Antônio

Novo Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Novo Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Missa de Cinzas - Fotos

Missa de Cinzas - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Seja um Padrinho Vem Cuidar de Mim

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Missa da Véspera de Natal

Missa da Véspera de Natal
Paróquia Menino Jesus de Praga

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração
Diácono Roberto Inocêncio

Visitantes

Ajude o Laureano

Oração de exaltação a Santa cruz

Terço

Terço
Mãe da Divina Misericórdia

Mensagem

Campanha Vem Cuidar de Mim

Campanha Vem Cuidar de Mim
Assine aqui o abaixo assinado!

Conselhos do Papa Francisco

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Reflexão

Frei Galvão

Frei Galvão
História

O Papa Francisco

O Papa Francisco
Vatican

Bíblia Católica On Line

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
armaduradocristao@gmail.com

Horário das Missas na Paróquia Menino Jesus de Praga - Bancários

  • Quinta-feira - 19:30hs
  • Sexta-feira -06:00hs
  • Sábado - 19:00hs
  • Domingo - 8:00 e 17:00hs
  • Telefone: (83) 3235.5120

Siga o Armadura por e-mail

A ARMADURA DO CRISTÃO

A ARMADURA DO CRISTÃO
Leia Efésios 6, 10-20

Adoração ao Santíssimo

Adoração ao Santíssimo

Salmos on Line

Menino Jesus de Praga

Arquivos Obras Timbó