Como examinar a consciência

sábado, 31 de dezembro de 2016

 

Precisamos viver nossa vida para Deus, por isso a necessidade de examinarmos a nossa consciência

Hoje, voltamo-nos a Jesus para experimentarmos o poder da Sua Palavra. Você acredita que Jesus está presente na Palavra?
A Palavra meditada está no Evangelho de São Lucas 18, 9-14: “Para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros, Jesus contou esta parábola: “Dois homens subiram ao templo para orar. Um era fariseu, o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de toda a minha renda’. O publicano, porém, ficou a distância e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!’ Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, mas o outro não. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”.
O Evangelho nos ajuda contando a história de dois homens. O evangelista São Lucas nos conta essa parábola, mas sabemos que as histórias de Jesus não eram invenções.

As histórias de Jesus contam a verdade!

Esses dois homens vão até Jesus para dizer o que estavam vivendo. O fariseu diz: “Deus, eu te agradeço, porque não sou como os outros. Eu jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo”. Ele se gaba das suas atitudes, diz a todos o que faz. Já o publicano dizia a Jesus da sua miséria, batia no peito pedindo misericórdia.
A nossa justificação não deve ser diante dos outros, mas diante de Deus. Precisamos viver a nossa vida para Ele, por isso a necessidade de examinarmos a nossa consciência.

Sejamos transparentes!

Estamos a três dias de um novo ano, é a oportunidade de fazermos um bom exame de consciência, pois precisamos fazer o melhor para Deus. A nossa vida precisa ser colocada diante da transparência do Senhor!
Imagine se entrássemos em uma máquina de transparência e pudéssemos mostrar aquilo que verdadeiramente somos. O que será que essa máquina mostraria sobre nós?
Quando estamos diante de Deus, a nossa consciência precisa acusar aquilo que não pertence a Ele em nós. Não é apontar o dedo e dizer: “Você fez isso e aquilo!”, não é para mostrar aos outros o que estamos fazendo de bom ou de ruim.
Terminando essa parábola, Jesus conta que foi o publicano quem voltou justificado para casa.
É diante de um sacerdote que precisamos levar a nossa vida e as atitudes contrárias ao Evangelho. Existe uma lei natural que nos acusa quando cometemos algo errado. É só pararmos por dois minutinhos e pensarmos nas coisas erradas, que elas vêm. A nossa consciência nos acusa pelas coisas erradas, mas também nos aplaude quando fazemos coisas certas.

 Fonte: Canção Nova

Feliz Ano Novo!!!!!!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016


Guardemos os mandamentos do Senhor

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

 

Os mandamentos da Lei de Deus são equilíbrio, graça e bênção para a nossa vida, são libertação para todos nós

“Aquele que diz: ‘Eu conheço a Deus’, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele” (1João 2, 4).

Estamos nas Oitavas de Natal, celebrando o nascimento de Cristo na nossa vida. Não podemos fazer dos acontecimentos natalinos, acontecimentos de uma vida passada; precisamos fazer com que o Natal seja cada vez mais vivido dentro de nós.
Quando olhamos para o nascimento de Jesus e O contemplamos e celebramos como nosso Salvador, vamos percebendo de que forma Ele nasce e nos liberta. A primeira coisa é saber que Ele nos liberta da mentira, porque não é só contá-la, mas viver uma vida de mentiras, uma vida que não corresponde à realidade daquilo que cremos, daquilo que falamos ou professamos. Chamamos isso de hipocrisia ou de uma vida mentirosa.
Deus não quer que tenhamos uma vida hipócrita, não quer que a nossa vida seja uma farsa. Se eu perguntar: “Você conhece Deus?” Todos nós diremos: “Sim, eu conheço Deus! Eu sirvo a Deus! Eu sou de Deus!”.
A primeira coisa: quem conhece Deus e O ama guarda Seus mandamentos; e os mandamentos da Lei de Deus são equilíbrio, graça e bênção para a nossa vida, são libertação para todos nós! Por isso precisamos guardar os mandamentos do Senhor e fazer com que eles sejam o fio condutor de toda a nossa vida aqui na Terra.
É importante olharmos para a nossa vida e vermos como o amor de Deus está sendo vivido dentro de nós. É bom sentir-se amado! Deus nos ama de forma infinita, única e soberana. Mas para que este amor de Deus esteja plenamente em nós, precisamos guardar Seus mandamentos. Não podemos amar a Deus somente com palavras: “Jesus me ama tanto! E eu O amo tanto!”. Você nem precisa dizer que ama a Deus, nem fique preocupado em verbalizar isso. Preocupe-se em expressar com sua vida. Preocupemo-nos em, a cada dia, revisarmos nossa vida e vermos os ajustes que ela precisa.
Não vá dormir, não passe um dia sem fazer o seu exame de consciência. Um bom exame de consciência é um bom remédio para que a nossa vida encontre o seu equilíbrio! Jesus é a nossa luz, Ele ilumina a nossa mente, a nosso coração, para percebermos onde nossa vida não está sendo vivida de acordo com a vontade de Deus.
Que Jesus Nosso Senhor nos mostre sempre a direção, quando nos distanciarmos da reta que Ele nos ajude novamente a encontrarmos o caminho reto por onde devemos caminhar.

Deus abençoe você!
 

Precisamos lutar a favor da vida

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

 

Precisamos lutar pela nossa vida e pela vida de todos! Não podemos expor nossa vida à morte

“Herodes mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho, de dois anos para baixo” (Mateus 2, 16).
Herodes, o maldoso, o perverso, queria matar Jesus. Na verdade, queria eliminar a criança que havia nascido de Maria e José. Seus planos perversos não se cumpriram, ele não conseguiu chegar a tempo para pegar Jesus e eliminá-Lo já no Seu nascimento.
Ele foi mais perverso ainda, porque mandou matar todas as crianças do sexo masculino, de dois anos para baixo, que viviam em Belém e nos territórios vizinhos.
Crianças que foram martirizadas, que derramaram seu sangue por causa de Jesus. Não que o Senhor quisesse ou quer que alguma criança morra, mas a perversidade humana chega a esse ponto.
Hoje, celebramos essas crianças como santas – como todas são –, e todas as crianças que, muitas vezes, já nascem mortas ou estão no ventre da mãe, mas não conseguem se desenvolver, ou até aquelas que são abortadas, porque o pai, a mãe e a sociedade a rejeitaram, pois causariam algum incômodo. Seja porque não esperavam que aquela criança nascesse ou porque ela tem alguma deficiência. Infelizmente, chamamos o ato de Herodes de perversidade, mas também devemos chamar de perversidade todos os atentados contra a vida.
Celebrar o Natal é celebrar a vida no sentido mais pleno que ela tem. Nós refletimos sobre a vida na homilia de ontem; hoje, estamos aqui para manifestar a Palavra de Deus e denunciar profeticamente tudo aquilo que é um atentando contra a vida, desde o momento que ela é concebida até seu instante final.
Estamos deixando que a sociedade faça o que quer com a vida humana, desde o aborto, à eutanásia e outras implicações que encurtam e tiram a vida humana de forma tão desproporcional e desumana.
Precisamos realmente dizer que Jesus veio para que todos tenham vida em abundância! Primeiro, porque a vida que Deus trouxe é para todos, e temos que nos preocupar não só com nossa saúde, pois saúde é direito de todos, é uma necessidade para toda humanidade, para todos os filhos e filhas de Deus.
Deus não está contente com as filas nos hospitais que não cuidam de nossos doentes. Não está satisfeito quando uma criança morre de forma indesejada, quando morre por falta de cuidado. Deus não é nem um pouco feliz com os desastres que acontecem na própria natureza, com os acidentes que acontecem nas estradas da vida e assim por diante.
Meus irmãos e irmãs, não podemos ter uma atitude passiva e dizer: “Era a vontade de Deus! Chegou o dia da pessoa!”. Isso é conformismo barato, é simplesmente deixar que a morte esteja agindo no meio de nós, provocando desastres. É óbvio que chega o dia de uma pessoa morrer, é óbvio que a luta não é suficiente para salvar uma vida ou já valeu aquela luta até aquele instante. Já valeu a luta da mãe que rezou, do pai que brigou e que foi atrás, que fez tudo o que era possível.
Não podemos ter uma atitude passiva, deixar a “deus-dará” e simplesmente não lutarmos pela vida. O nosso Deus lutou para viver, os anjos agiram para que Ele não morresse ainda criança, porque Ele tinha muito o que fazer na vida.
Precisamos lutar pela nossa vida e pela vida de todos! Não podemos expor nossa vida à morte, não podemos dispô-la às tragédias deste mundo, mas a vida deve ser vivida com equilíbrio e sobriedade. Temos de lutar, para que nossa vida seja mais plena e bem vivida!

Deus abençoe você!
 
Fonte: Canção Nova

Sua Família Pertence a Deus!

terça-feira, 27 de dezembro de 2016



“Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer” (Lc 17,10).

Alguns me chamam de ““Jonas da Bíblia”,” e esse contato com a Palavra me faz entender que nenhum servo é insubstituível, mas é uma tendência nossa achar que o somos. E porque  somos substituíveis, temos de fazer bem o que o Senhor quer que façamos.
Se não realizarmos com perfeição aquilo que nos é pedido, o Senhor vai nos substituir. Isso Ele diz também a você. Seja em que área for, você é mais do que um profissional, é um servo. Você não precisa ser melhor que os outros, mas melhor para os outros.
Hoje, Deus me diz que eu não fiz mais do que minha obrigação.
As famílias precisam de esposos que sejam fiéis. Nas nossas televisões, as novelas somente mostram infidelidade, e os casais se sentam diante delas para aprender essas lições que nunca são vontade de Deus. O povo começa a torcer pelas tramas da novela sem se preocupar com a família. Hoje, é preciso reverter isso. Eu sei que as palavras ajudam, mas é o exemplo que arrasta.
Pelo sacerdócio que me foi confiado, peço ao Senhor que os esposos sejam fiéis. Peço a graça e a coragem da fidelidade. Peço também pelas mulheres o dom, a graça e a coragem da fidelidade, porque, muitas vezes, hoje, elas é quem têm sido infiéis.
O Senhor quer pessoas fiéis, a nossa sociedade está precisando de esposas e mães fiéis. Que você queira e não tenha medo de ser melhor para os outros.
Também os políticos, médicos, juízes, advogados, em todas as áreas, no campo da educação, precisam ser os melhores para Deus e para a sociedade.
Meu avô Pacheco tinha uma oficina de ferreiro, e ele não era só bom, mas ótimo no que fazia. Também minha avó Benedita Fogaça era uma excelente dona de casa. Todas as profissões são necessárias para a sociedade, e você precisa ser o melhor. Não é com palavras e discursos que o Brasil vai se transformar, mas com pessoas, com homens e mulheres fiéis.
Repita: “Eu me comprometo, diante de Deus, a ser uma pessoa honesta, muito honesta”.

O Natal é tempo de acender a luz no seu coração

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

 

Papa Francisco nos ensina a importância de acender sua luz neste Natal

O Papa Francisco ensina que Natal sem luz não é Natal. Não se trata, obviamente, de referência às luzes dos centros comerciais. Nem mesmo se refere às lâmpadas que integram o cenário dos presépios e ornamentam as árvores, indicando o genuíno sentido do Natal, a chegada do Salvador do mundo. O Santo Padre faz, na verdade, um interpelante convite a cada pessoa: acenda a sua luz.
Oportuno é fazer um exercício de imaginação usando a imagem simbólica das luzes nas árvores de Natal, nos enfeites das casas, edifícios, tantas outras decorações que provocam alegria e emoção. Todas essas luzes poderiam ser a multidão – a humanidade da cidade da gente, do bairro, da rua, de sua casa, do seu prédio, do ambiente de trabalho, das escolas, das instâncias de governos e dos segmentos todos da sociedade. Assim seria possível formar uma grande procissão da humanidade com a luz que dissipa a escuridão. Não haveria mais as sombras que embaçam a vista, confundem entendimentos, induzem a escolhas equivocadas, geram indiferença e as muitas formas de violência – como o aborto e o “descarte das pessoas”. Se houvesse uma luz nas mãos de cada indivíduo, uma grande tocha se formaria, fazendo brilhar os olhos da esperança. Surgiriam novos caminhos a serem percorridos e os rostos de cada pessoa revelariam encantamento pelos rumos reencontrados. Haveria um verdadeiro fenômeno de luz, que faz raiar um novo dia.

A festa da luz

O Papa Francisco diz que o Natal é a festa da luz – muito mais do que um efêmero espetáculo produzido com impacto visual, mas sem efeitos duradouros. A falta de saídas para as crises e a carência de entendimentos humanitários que podem devolver ao ser humano a sua mais nobre condição indicam que o mundo atual, com suas tantas outras “luzes”, nunca esteve tão obscurecido. A humanidade sofre com percalços dolorosos, potencializados pelas brutalidades, ganâncias, ódio e desejo de vingança. Por tudo isso, a convocação é urgente: acenda a sua luz interior. O verdadeiro Natal é luz. É o evento da luz que brilha nas trevas. Vale guardar a narrativa de São João na introdução do seu Evangelho: “E a luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram dominá-la. Veio um homem, enviado por Deus, seu nome era João. Ele veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos pudessem crer, por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Esta era a luz verdadeira, que vindo ao mundo a todos ilumina”. A Palavra de Deus possibilita essa compreensão a respeito da luz verdadeira que, se recebida, faz crescer um brilho interior. Quem a acolhe e cultiva sua luminosidade passa a orientar-se nos parâmetros da verdade e do amor.
Acender a luz, sua luminosidade interior, antes e acima de tudo é, deliberada e amorosamente, receber a Cristo, a luz que vem ao mundo. A luz que pode brilhar no interior de cada pessoa depende dessa luz, fonte inesgotável de luminosidade, que é o amor infinito de Jesus. Acender a própria luz é acolher Cristo Luz dos Povos e conseguir caminhar nas trilhas do bem, da verdade e da justiça. Diante das muitas incertezas vividas por toda a sociedade, só há uma saída possível: empreender o acendimento da própria luz.

Resgate valores

Este grave momento da história, quando a sociedade se submerge nas escuridões produzidas por desmandos e relativizações dos parâmetros ético-morais, torna se urgente um gesto humilde e simples, mas significativo: reunir os restos e os cacos da própria lamparina interior e acendê-la, de novo, com a acolhida de Cristo que vem, a luz que todos ilumina. Esse compromisso exige resgatar valores na interioridade, assumir novos propósitos, arcar com o peso indispensável de recomeçar, abrir mão de privilégios. Assim torna-se forte a luz da esperança de um novo tempo, com a escuta de Cristo, o messias Salvador. O que está quebrado pode ser reparado. Os erros, corrigidos. E o que foi retirado indevidamente pode ser reposto.
Reacendam os corações para iluminar um caminho diferente e, assim, com esperança, que possa ser vista no horizonte a realização da profecia de Isaías quando diz que “o Povo que andava nas trevas viu uma grande luz, para os que habitavam as sombras da morte uma luz resplandeceu”. Sem esperar milagres dos “salvadores da pátria”, a única saída é o gesto pessoal capaz de provocar efeito revolucionário sobre a sociedade, um convite interpelante e transformador: acenda sua luz!

Fonte: Canção Nova


Missa da Noite de Natal na Paróquia Menino Jesus de Praga - Fotos

domingo, 25 de dezembro de 2016

Nasceu-nos hoje um menino e um filho nos foi dado. Grande é este pequenino, Rei da paz será chamado. 
ALELUIA, ALELUIA!!!!!!







http://armaduracristaodo.blogspot.com.br/2016/12/missa-da-noite-de-natal-paroquia-menino.html
Para ver mais fotos clique na imagem acima

Oremos por nossas crianças

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Oremos por nossas crianças, para que elas cresçam na bênção e na proteção do Senhor

“Eis que envio o meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim” (Malaquias 3,1).

Estamos a dois dias de celebrarmos o Natal de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A liturgia, no dia de hoje, aponta-nos o nascimento de João Batista, aquele que será o precursor de Jesus. É João Batista quem vai preparar os caminhos do Senhor. Por isso, a narrativa bíblica faz questão de nos mostrar o nascimento dele.
Estamos acompanhando esse menino, desde o momento em que ele foi anunciado pelo arcanjo Gabriel ao seu pai Zacarias, porque ele tem uma importância fundamental nos caminhos de Deus. Ele será um instrumento da graça de Deus, para que o próprio amor do Senhor chegue aos corações.
Quando queremos ser usados por Deus e queremos que os nossos também sejam instrumentos nas mãos d’Ele, é importante que toda a vida já esteja envolvida nesse processo. Não passamos a ser instrumento de Deus somente quando vivemos a conversão na vida. Esse momento é importante, mas precisa abraçar até a nossa vida passada.
Se pudermos, entreguemos, consagremos nossas crianças desde que estão sendo concebidas, para que sejam realmente de Deus. Não fiquemos pensando que consagrar e entregar a Deus quer dizer que o filho terá de ser freira ou padre. Que cada um de nós, onde quer que estejamos, com o que estejamos fazendo nessa vida, sejamos instrumentos nas mãos do Senhor. É uma graça fundamental que todos nós precisamos ter na nossa vida!
A mão do Senhor estava com João desde o momento de sua concepção. Quando esse menino nasceu, quando cresceu, a mão do Senhor o conduzia. A mão do Senhor quer também estar sobre nós, sobre nossos filhos, sobre nossas crianças! Por isso, é fundamental, desde o momento da concepção, que rezemos por elas. Estou falando diretamente para quem é pai e mãe, para que coloquem sua mão abençoada sobre seu ventre, ore pela sua criança, peça a bênção, peça a graça, a cura e a libertação.
Pessoalmente, oro demais pelas mães grávidas, por aquelas que querem engravidar, oro para que cada dia da gravidez seja vivido realmente com a intensidade de amor, de oração e entrega. Depois que a criança nasce, como é importante orar por ela a cada dia! Como é importante que o pai e a mãe deem a bênção a essa criança! Isso é um gesto sacramental e não pode ser feito de qualquer jeito.
Primeiro, existem pais que não ensinam os filhos nem a pedirem a bênção; às vezes, quando elas pedem, os pais não abençoam no sentido literal da palavra, ou seja, com amor, ternura e devoção.
Oremos por nossas crianças! Você, que é pai e mãe, têm uma graça única. A oração do padre é boa e maravilhosa, mas a oração da graça procede da mão do papai e da mamãe. Oremos por nossas crianças, para que elas cresçam na bênção e na proteção do Senhor!

Deus abençoe você!
 
Fonte: Canção Nova

De Maria nasceu o Salvador da humanidade

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

A união do divino Espírito Santo com um humano, a Virgem Maria, gerou um fruto bendito: Nosso Senhor e Salvador

“Com um grande grito Isabel, exclamou: ‘Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!’” (Lucas 1, 42).

Bendito sejais o Senhor Nosso Deus, porque nos deu um fruto bendito, nascido da bendita: a bem-aventurada sempre Virgem Maria. Preparando-nos para a celebração do Natal de Nosso Senhor, fico imaginando o quanto é importante a figura de uma mãe para a geração de uma vida.
Todos se maravilham, se alegram com aquele filho que veio, ele é fruto daquela árvore, é fruto daquela mãe. Claro que não estou menosprezando a figura do pai, pois me refiro ao pai quando olhamos a figura de José.
Quero me referir à figura da mãe, porque é um privilégio ser mãe, é algo divino, muito abençoado; e toda a colaboração do homem é necessária, mas a criança é concebida e nutrida no ventre de sua mãe. É ela quem tem a graça de gestar, gerar, levar, na sua vida, aquela vida concebida. Mas se tratando de uma vida concebida de forma sobrenatural, a união do divino Espírito Santo com um humano, a Virgem Maria, gerou um fruto bendito: Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Não consigo falar de Jesus sem olhar o terreno, sem olhar o solo, sem olhar o ventre ou a terra fecunda que O gerou para nós. O ventre fecundo, a terra abençoada, que é a bendita Virgem Maria! Acho que é profundamente descabido, desmedido olharmos para Maria como se ela fosse uma mulher qualquer ou a tratarmos como se ela fosse como as outras. A Palavra diz que ela é bendita entre todas as outras mulheres.
Cada mulher é uma bênção, cada mãe tem uma bênção e uma graça divina! Cada mãe que gera um filho, ou a mãe que gera dez filhos, ou ainda a mãe que cuida de filhos, mas nem os gerou em seu ventre, é também uma mulher bendita e abençoada. Mas nenhuma mulher é bendita entre todas as mulheres, porque teve a graça de conceber um filho de forma milagrosa e por intervenção divina como Maria teve.
Não a comparamos nem com a própria Isabel, porque é esta quem estava dizendo que ela era bendita entre todas as mulheres. Por isso, preparando-nos para o Natal de Cristo, queremos olhar para este solo abençoado, queremos olhar para essa árvore fecunda, chamada Virgem Maria! “Tu és bendita mãe, tu és bendita mulher! Todas as gerações hão de proclamá-la bem-aventurada”.
Eu quero me unir a todas as vozes que, durante esses séculos de história de fé, desde a Igreja Primitiva dos apóstolos até o dia de hoje, numa só voz, reconhecem uma mulher que se fez toda de Deus e, por ela, nos veio o Salvador da humanidade. Ela não é mais do que Deus, não é deusa, nem semideusa, não tem a grandeza de Deus. Ela tem toda a humildade de ser uma serva do Senhor, uma discípula de Jesus Cristo, Mãe bendita e abençoada mais do que todas as mulheres da face da Terra.
Tenho um profundo amor e respeito por todas as visões cristãs e evangélicas que possam existir na humanidade, mas não posso ignorar, de forma nenhuma, esse elemento bíblico, tão importante para minha fé. Não posso diminuir aquilo que Deus realizou nos Seus desígnios de salvação. Deus não fez coisa pequena, Ele realizou coisas grandes na vida de Maria. Por isso, eu te digo:  “Tu és bendita entre as mulheres e bendito é o fruto que do seu ventre nasce!”.

Deus abençoe você!
 
Fonte: Canção Nova

Auto de Natal - Paróquia Menino Jesus de Praga

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Na noite deste último domingo(18/12) as crianças do ECRI(Encontro de Crianças com Cristo) da Paróquia Menino Jesus de Praga apresentaram lindamente o Auto de Natal.
http://armaduracristaodo.blogspot.com.br/2016/12/auto-de-natal-da-paroquia-menino-jesus.html
 Auxiliados por casais da Paróquia, na simplicidade, as crianças emocionaram todos que assistiram o espetáculo.
 
 Momento Mariano
 Fiéis prestigiando o evento
 Ceia de Natal
 Montagem da árvore de natal

 Encontro de Maria e Isabel



 Pastores
 Reis magos
 Presépio
http://armaduracristaodo.blogspot.com.br/2016/12/auto-de-natal-da-paroquia-menino-jesus.html
Clique na imagem acima e confira todas as fotos registradas pelo Armadura do Cristão

Sejamos sinal para o mundo!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Temos de ser seta, sinal que aponta às pessoas o caminho da salvação, que é Jesus

“Eu vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém é maior do que João. No entanto, o menor no Reino de Deus é maior do que ele” (Lucas 7,28).

É uma graça aquilo que a Liturgia do Tempo do Advento nos dá, que é refletir sobre a figura, a pessoa de João Batista.
João foi um homem de Deus, humilde, modesto e penitente; um homem totalmente voltado para a causa do Senhor e para preparar Seus caminhos. Por isso, ele assume um papel fundamental na compreensão do mistério da vinda de Cristo, o Messias.
É muito interessante que João não chama a atenção para si, mas para Cristo, mostrando que Ele é o Salvador, o caminho, a luz que vem para o mundo.
Temos de ter muito cuidado, temos de ser seta, sinal que aponta às pessoas o caminho da salvação, que é Jesus. Mas não podemos querer que as pessoas parem em nós. Eu não posso querer que as pessoas parem em mim, que se prendam a mim, que sigam o caminho de Deus por causa de mim e tenham em mim o ponto de parada ou chegada. Assim, vale também para o cantor, para o padre que é o pastor, que é líder. Não podemos parar nas pessoas, pois elas precisam ser para nós um sinal.
É verdade que existem os maus e bons sinais ao longo do caminho, e precisamos seguir os bons sinais. Mais do que segui-los, precisamos ser um bom sinal na estrada, temos que sinalizar para as pessoas por onde elas devem ir, e que, de fato, não devemos parar, estacionar ao longo do caminho.
Devemos levar as pessoas até Jesus, para que O conheçam, para que se entreguem a Ele, a fim de que façam o que João fez: transformou Jesus na luz da sua vida.
João era uma voz, mas não era a Palavra. João era a voz por onde a Palavra de Deus chegava até as pessoas. Temos o canal vocal de onde nossa voz sai, mas a palavra não deve ser nossa, e sim de Deus! Devemos ser, realmente, para os outros um canal que comunica a Palavra de Deus, para que ela chegue aos corações.
Às vezes, preocupamo-nos muito com a nossa opinião, com nossa palavra e vontade. Aquele que se põe como instrumento de Deus faz-se voz d’Ele para que Sua Palavra chegue ao coração das pessoas.
João se fez humilde, dilatou seu coração, foi um homem penitente para que as pessoas não parecem nele, mas para que chegassem até Deus.
Quando nos fazemos menor, quando a humildade toma conta do nosso coração, as pessoas não param em nós, mas olham para nós e chegam até Deus por nosso intermédio.
Que sejamos para o mundo sinais vivos de que Deus está no meio de nós!

Deus abençoe você!
 
Fonte: Canção Nova

Santa Luzia, protetora dos olhos

terça-feira, 13 de dezembro de 2016



Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa

O nome de Santa Luzia deriva do latim e significa: Portadora da luz. Ela é invocada pelos fiéis como a protetora dos olhos, que são a “janela da alma”, canal de luz.
Ela nasceu em Siracusa (Itália) no fim do śeculo III. Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, a ponto de ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe, chamada Eutícia, a queria casada com um jovem de distinta família, porém, pagão.
Ao pedir um tempo para o discernimento e tendo a mãe gravemente enferma, Santa Luzia inspiradamente propôs à mãe que fossem em romaria ao túmulo da mártir Santa Águeda, em Catânia, e que a cura da grave doença seria a confirmação do “não” para o casamento. Milagrosamente, foi o que ocorreu logo com a chegada das romeiras e, assim, Santa Luzia voltou para Siracusa com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimentos pelos quais passaria, assim como Santa Águeda.
Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Não querendo oferecer sacrifício aos falsos deuses nem quebrar o seu santo voto, ela teve que enfrentar as autoridades perseguidoras. Quis o prefeito da cidade, Pascásio, levar à desonra a virgem cristã, mas não houve força humana que a pudesse arrastar. Firme como um monte de granito, várias juntas de bois não foram capazes de a levar (Santa Luzia é muitas vezes representada com os sobreditos bois). As chamas do fogo também se mostravam impotentes diante dela, até que por fim a espada acabou com vida tão preciosa. A decapitação de Santa Luzia se deu no ano de 303.
Conta-se que antes de sua morte teriam arrancado os seus olhos, fato ou não, Santa Luzia é reconhecida pela vida que levou Jesus – Luz do Mundo – até as últimas consequências, pois assim testemunhou diante dos acusadores: “Adoro a um só Deus verdadeiro, e a Ele prometi amor e fidelidade”.

Santa Luzia, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova

Encontramos em Jesus o descanso necessário

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Que nossa alma seja curada dessas inquietações, as quais nos perturbam e não nos permitem ter o descanso necessário

“Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso” (Mateus 11,28).

Se soubéssemos o quanto o descanso é sagrado, o quanto ele faz bem para a alma e para o coração! Descansar é realmente permitir que a alma e o coração repousem, que o coração, a alma e todo o nosso corpo saiam das fadigas diárias que vivemos.
Viver é bom, mas também cansa viver com responsabilidade, olhando tudo aquilo que são nossos compromissos, nossos afazeres no dia a dia. Como é importante descansarmos!
Deixe-me aproveitar que estamos no mês de dezembro, onde se avista um tempo maior de descanso, para dizer que férias não é luxo, não é privilégio. Férias é necessidade e obrigação para todos nós!
Se quisermos que Deus realmente nos abençoe, saibamos viver o repouso sabático, o sábado; não como o dia da semana apenas, mas como aquele que lembra a necessidade do repouso que tem o nosso corpo, nossa alma e coração.
Se você trabalha para Deus, saiba n’Ele procurar o repouso necessário para sua vida. Deus não nos quer fatigados, cansados nem oprimidos. Não! É verdade que Deus nos quer incansáveis pelo Seu Reino, mas só é verdadeiramente incansável aquele que descansa em Deus de tudo aquilo que faz. Por isso, as férias anuais, o descanso semanal e o repouso a cada noite, quando realmente dormimos, são muito sagrados para a nossa vida.
Não adianta se fatigar, lançar-se para fazer todas as coisas; não adianta se achar um grande empreendedor se não empreende cuidado para sua alma e para o seu coração.
Permita encontrar de Deus afago, descanso, repouso e tranquilidade. Permita que sua alma seja curada dessas inquietações que perturbam, tiram a paz e não permitem ter o descanso interior tão necessário para ter serenidade, prudência, determinação e luz na alma.
Quando nos fatigamos, quando nos envolvemos em coisas demais, perdemos a serenidade interior, vamos atropelando e fazendo as coisas de qualquer jeito. Veja que nos machucamos e nos debatemos muito, misturamo-nos com tantas coisas, porque não sabemos dar à alma o descanso que ela merece.
Quem é ocupado com seus afazeres de casa e família, de criar filhos e tantas outras obrigações, o quanto precisam do descanso de Deus, e o quanto Ele quer que você descanse no Seu sagrado coração!
Um remédio e um bálsamo para a alma são essas duas pílulas do coração de Jesus: a mansidão e a humildade. Não busque coisas muito elevadas para o seu coração, não busque fazer mais do que você pode. Seja manso, saiba viver uma coisa de cada vez, uma coisa a cada tempo; com certeza, a graça de Deus há de conduzir seus passos.

Deus abençoe você!
 
Fonte: Canção Nova

Busquemos aqueles que estão longe de Deus

terça-feira, 6 de dezembro de 2016


O amor misericordioso sabe acolher, cuidar, preocupar-se com quem está longe, afastado e parece estar perdido

“O Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”
  (Mateus 18,14).
O Pai que está nos Céus não deseja que nos percamos, não deseja que nenhuma de Suas ovelhas que estão longe, desgarradas e perdidas, se percam. O Pai ama cada um de forma única e singular, Ele é capaz de deixar todas as ovelhas que tem para ir atrás daquela única que está perdida, distante e longe.
Acostumamo-nos com as pessoas que estão enchendo nossas igrejas, com aqueles que estão em nossos grupos de oração. O grande apostolado da fé é ter pessoas que tenham um coração misericordioso como o do Pai, um coração que realmente se preocupe com aqueles que estão distantes, que estão longe, extraviados pelas situações da vida.
Não é olhá-lo como um perdido, mas olhar como alguém que está no caminho de se perder. Precisamos buscar, ir atrás, dar o melhor de nós. Não são nossos sermões, nossa moral exacerbada que vão converter ou convencer alguém, mas é o amor misericordioso que sabe acolher, cuidar, preocupar-se com quem está afastado, está longe e parece perdido, sem saber por onde andar.
Por isso, se pudermos, neste tempo, parar para fazer uma listinha, oferecer nossas orações, sacrifícios e intenções. Oferecer uma visita fraterna, uma visita amiga para alguém que parece distante, longe, alguém que você conhece; e se puder ser mais do que uma, talvez duas ou três pessoas.
É tão bom que nossas pastorais, nossos movimentos, sobretudo, nossas ações enquanto cristãos não sejam somente para buscar os nossos. Você pode dizer: “Eu tenho muitas coisas para me preocupar! Eu já tenho família, filhos e marido!”. Deus vai lhe dar a graça para cuidar também desses, mas que tal usar esse dom, essa graça que você tem para buscar tantos outros que parecem distantes dos caminhos do Senhor?
É importante você ter na mente e no coração esse desejo do Pai. O Pai do Céu não deseja que se perca nenhum de seus pequeninos, Ele não deseja que nos percamos. Vamos buscar e resgatar aquilo que parece perdido, longe e distante.

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

Seja um Padrinho Vem Cuidar de Mim

Pesquisar neste Blog

Liturgia Diária

Liturgia Diária
Canção Nova

PC Magazine

PC Magazine
Informática e Eletrônicos

Novo Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Novo Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração
Diácono Roberto Inocêncio

Fotos

Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Visitantes

Ajude o Laureano

Oração de exaltação a Santa cruz

Terço

Terço
Mãe da Divina Misericórdia

Mensagem

Campanha Vem Cuidar de Mim

Campanha Vem Cuidar de Mim
Assine aqui o abaixo assinado!

Conselhos do Papa Francisco

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Reflexão

Frei Galvão

Frei Galvão
História

O Papa Francisco

O Papa Francisco
Vatican

Bíblia Católica On Line

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
armaduradocristao@gmail.com

Horário das Missas na Paróquia Menino Jesus de Praga - Bancários

  • Quinta-feira - 19:30hs
  • Sexta-feira -06:00hs
  • Sábado - 19:00hs
  • Domingo - 8:00 e 17:00hs
  • Telefone: (83) 3235.5120

Siga o Armadura por e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

A ARMADURA DO CRISTÃO

A ARMADURA DO CRISTÃO
Leia Efésios 6, 10-20

Adoração ao Santíssimo

Adoração ao Santíssimo

Salmos on Line

Menino Jesus de Praga

Arquivos Obras Timbó