O cristão precisa compreender a fortaleza do amor de Deus por nós

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O amor de Deus por nós é infinito

Toda a vida cristã tem um centro: o amor.  São João Paulo II o explica incomparavelmente: “Ser cristãos não é, primeiramente, assumir uma infinidade de compromissos e obrigações, mas sim deixar-se amar por Deus”. E completa: “Quem quer que sejas tu, qualquer que seja tua condição existencial, Deus te ama. Te ama totalmente. Deus ama a todos sem distinção e sem limites. Nos ama a todos com um amor incondicional e eterno”.
Deus nos ama como somente Ele pode fazê-lo: infinitamente. Deus nos envolve, por amor, com Sua Graça, apesar de nossas negligências e imperfeições. Por mais indignos que sejamos, Ele nos inspira, ilumina nossos caminhos e se difunde em nossos corações. Novamente, São João Paulo II nos recorda que “o amor de Deus até os homens não conhece limites”, não se detém ante nenhuma barreira de raça ou cultura: é universal, é para todos. Só pede disponibilidade e acolhida; só exige um terreno humano para fecundar, feito com consciência honrada e de boa vontade”.
O cristão precisa compreender a fortaleza do amor de Deus por nós
Foto Ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

A plenitude do amor de Deus

O amor de Deus é tão grande, que se fez homem. Isso para algumas criaturas é impensável. Um Deus que se faz homem? Um Deus que, do estado de onipotência absoluta, reduz-se à pequenez de um ser humano? Deus fez por nós, mais do que podemos compreender. Há, por acaso no mundo, um amor assim, apesar dos nossos defeitos, faltas e ofensas?
Deus tem chegado até nós a extremos inesperados, ao grado de fazer-se homem para salvar-nos. Santo Agostinho disse que era tão grande a soberba humana que precisou da humildade divina para curar-se.
E o amor com amor se paga. O amor que Deus tem por nós é a saúde da alma. Uma alma sem amor está morta. Não podemos ver o Criador com tibieza enquanto Ele nos ama com tanto ardor. Se Deus nos ama, nos recorda São Bernardo, nós devemos amá-Lo, sabendo que isso nos faz felizes.

Mandamentos

O primeiro mandamento é amar a Deus com todo o coração, com todas as forças. Devemos consagrar a Ele todo pensamento, inteligência e o trabalho de cada dia. A medida do amor a Deus é amá-lo sem medida. Devemos desejar amá-lo mais. Quem não quiser amar a Deus mais do que Ele ama, de nenhuma maneira cumprirá o preceito do amor. Dizia o Beato José Maria: “Senhor: que tenha peso e medida em tudo… menos no Amor” (Caminho, n. 427).
O homem nunca pode amar a Deus tanto como Ele deve ser amado, porque Deus é infinitamente amável. Devemos pedir a Deus que nos deixe conhecê-Lo, para amá-Lo profundamente, que nos deixe vê-Lo em todas as coisas.
Só Deus basta para acalmar nossos desejos. “Deus é maior que o nosso coração” (1 Jo 3, 20). Por isso, diz Agostinho no Livro Primeiro das Confissões: “Senhor, nos tem feito para Ti e nosso coração está intranquilo até que descanse em Ti”.
Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensina os dois mandamentos fundamentais: amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo. E todos sabemos o quanto é difícil amar aos que nos ofendem.
João Paulo, nos expõe maravilhosamente: “A algumas pessoas é fácil amá-las; a outras, é difícil: não são simpáticas, nos tem ofendido ou feito mal; somente se amo a Deus na seriedade, chego a amá-las enquanto filhas de Deus e porque Ele me ordena. Jesus tem fixado, também, como amar o próximo, isto é, não somente com o sentimento, mas com os fatos: (…) tive fome na pessoa de meus irmãos pequeninos, tens me dado de comer? Me visitastes quando estava enfermo?”.

Amamos ao próximo por Deus, porque quem ama a Deus, é inevitável não amar ao próximo

Santa Teresa de Lisieux explica: “Entendi que somente o amor é que impulsiona… se faltasse este amor, nem os apóstolos anunciariam o Evangelho, nem os mártires derramariam seu sangue. O amor encerra em si todas as vocações, o amor é tudo, abarca todos os tempos e lugares: o amor é eterno. Então, cheia de alegria transbordante ‘Oh, Jesus, meu amor, por fim tenho encontrado minha vocação: minha vocação é o amor!'”.
No mais, o amor defende-nos das adversidades. O sofrimento, o abandono, a contradição, quando se levam pelo amor, cobram um sentido totalmente diferente. Até os reveses e dificuldades passageiros para aquele que ama.
“Tudo o que é difícil, que pode ter nos mandamentos, faz-se conduzido pelo amor. O que o amor não faz? Veja como trabalham os que amam; os que padecem não sentem, redobrando seus esforços ao tom das dificuldades”, nos recorda Santo Agostinho.
“Em vossas dificuldades, nos momentos de prova e desalento, quando parece que toda dedicação está como vazia de interesses e valores, tenha presente que Deus conhece vossos afanes! Deus os ama um por um, está perto de vós, os compreende! Confiai Nele e, nesta certeza, encontrai a coragem e a alegria para cumprir com amor e com gozo vosso dever!” (São João Paulo II).

Vida de santidade

O amor conduz à felicidade. Só aos que o tem, Ele lhes promete a bem-aventurança eterna. E, sem Ele, tudo mais tem resultado insuficiente. O amor produz no homem a perfeita alegria.
Voltemos a encontrar o caminho que leva a Deus. Não a um deus qualquer, mas ao Deus que tem se manifestado Pai no rosto amabilíssimo de Jesus de Nazaré. Recordemos o abraço terno e afetuoso do Pai quando volta a encontrar o filho “pródigo”. Se deixarmo-nos encontrar por Ele, nosso coração falará de paz. Será fácil responder ao Seu amor com amor. Para entender, basta pensar em Jesus sobre a Cruz e no ladrão crucificado com Ele, ao lado d’Ele. Jesus lhe garantiu: “Hoje, estarás comigo no paraíso!”.
Provavelmente, não há quem ame mais no mundo do que uma mãe. Nos encontremos com a Santíssima Virgem e peçamos a Ela que nos ensine a amar mais o Seu Filho. Ela o teve entre os braços, quando nasceu em um presépio e quando O desceram da Cruz. Maria, modelo perfeito do Amor a Deus, nos mostrará o caminho para entregar, por inteiro, nosso coração a Deus.

0 comentários:

Pesquisar neste Blog

Liturgia Diária

Liturgia Diária
Canção Nova

Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson
Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson

Comunidade do Timbó recebe Arcebispo Dom Delson
Bênção da reforma da Capela Santo Antônio

Como Retornar?

Como Retornar?
Dicas para voltar a ter intimidade com Deus

Missa de Cinzas - Fotos

Missa de Cinzas - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Seja um Padrinho Vem Cuidar de Mim

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos

Projeto "Igreja no Cinema" - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Missa da Véspera de Natal

Missa da Véspera de Natal
Paróquia Menino Jesus de Praga

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração

10 Anos de Ordenação Diaconal - Fotos da Comemoração
Diácono Roberto Inocêncio

Visitantes

Ajude o Laureano

Oração de exaltação a Santa cruz

Terço

Terço
Mãe da Divina Misericórdia

Mensagem

Campanha Vem Cuidar de Mim

Campanha Vem Cuidar de Mim
Assine aqui o abaixo assinado!

Conselhos do Papa Francisco

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Reflexão

Frei Galvão

Frei Galvão
História

O Papa Francisco

O Papa Francisco
Vatican

Bíblia Católica On Line

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
armaduradocristao@gmail.com

Horário das Missas na Paróquia Menino Jesus de Praga - Bancários

  • Quinta-feira - 19:30hs
  • Sábado - 19:00hs
  • Domingo - 8:00 , 11:00 e 17:00hs
  • Telefone: (83) 3235.5120

A ARMADURA DO CRISTÃO

A ARMADURA DO CRISTÃO
Leia Efésios 6, 10-20

Adoração ao Santíssimo

Adoração ao Santíssimo

Salmos on Line

Menino Jesus de Praga

Arquivos Obras Timbó