Em Deus encontramos o remédio que cura nossa alma

terça-feira, 15 de março de 2016

 

Olhemos para o Cristo crucificado, elevado na cruz para a nossa salvação e libertação, e encontremos n’Ele o remédio para nossa cura

“Durante a viagem, o povo começou a impacientar-se, e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés” (Nm 21,4-5).


Na longa jornada que o povo fez pelo deserto, o próprio Deus os conduzia pela mão, tirando-os da escravidão do Egito e conduzindo cada dia os seus passos.
Durante o caminhar no deserto, as nuvens escuras aparecem à frente da nossa alma, do nosso coração e da nossa vista, então, tornamo-nos, muitas vezes, cegos e impacientes como aquele povo que começou a murmurar e dizer: “O que fazemos aqui? Para onde estamos indo? O que fizeram conosco?”. Aquele povo, com muita dureza no coração, sem nenhuma piedade, começou a murmurar contra Moisés e contra Deus.
O murmúrio daquele povo virou um verdadeiro veneno, porque a murmuração, a reclamação, aquela forma impaciente de lidar com a vida e com as inquietações, são um verdadeiro veneno para a nossa vida, pois trazem o esmorecimento, o desânimo, o desalento e a falta de força para caminhar. Aquele povo se perdeu no meio do caminho, caíram esmorecidos e doentes, foram picados pelas cobras, pelo veneno da murmuração e do desespero.
Deus e Moisés, de quem aquele povo tanto falou mal e reclamou, tiveram misericórdia deles [povo]. Moisés clamou ao Senhor que fizesse algo pelo seu povo. A partir disso, Deus mandou construir a serpente de bronze; todo aquele que olhava para ela ficava curado de seus males.
Não deixe a erva daninha da murmuração e da revolta crescer em seu coração, porque, de início, pode parecer apenas uma revolta, uma indignação contra Deus, mas depois isso cresce e se torna um verdadeiro veneno! Tornamo-nos desanimados, sem alento, cansados, impacientes e nada na vida presta. Começamos a reclamar de tudo e de todos, perdemos o sabor, a vida vai azedando, o azedume cresce e nos faz mal.
Se o povo pôde olhar para a serpente de bronze e encontrar a cura, hoje, nós olhamos para o Cristo crucificado, elevado na cruz para a nossa salvação e libertação, e encontramos n’Ele o remédio para a nossa cura.
Olhe para Jesus e deixe-se transpassar por Ele, pelo Seu olhar de bondade e misericórdia. Que sejamos curados de todo o veneno da amargura, do azedume e da murmuração dos outros e da nossa vida!
Não percamos o sabor de viver, não percamos a direção da vida nem o sentido do caminhar; e se estivermos assim, voltemos nosso olhar para Jesus crucificado, que é a nossa cura e libertação!

Deus abençoe você!

Fonte: Canção Nova

0 comentários:

Pesquisar neste Blog

Assessores dos juízes de primeiro grau do TJPB lançam a Campanha Corrente do Bem

Liturgia Diária

Liturgia Diária
Canção Nova

Corrente do Bem - Assessores 1º Grau - TJPB

Corrente do Bem - Assessores 1º Grau - TJPB
Em tempos de Pandemia, é hora da Solidariedade!

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson

Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba - Dom Delson
Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz

Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Visitantes

A ARMADURA DO CRISTÃO

A ARMADURA DO CRISTÃO
Leia Efésios 6, 10-20

Conselhos do Papa Francisco

Oração de exaltação a Santa cruz

Como Retornar?

Como Retornar?
Dicas para voltar a ter intimidade com Deus

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Terço

Terço
Mãe da Divina Misericórdia

Mensagem

Reflexão

Frei Galvão

Frei Galvão
História

O Papa Francisco

O Papa Francisco
Vatican

Bíblia Católica On Line

Seja um Padrinho Vem Cuidar de Mim

Missa de Cinzas - Fotos

Missa de Cinzas - Fotos
Paróquia Menino Jesus de Praga

Mensagem

Mensagem
Monsenhor Jonas Abib

Ajude o Laureano

Campanha Vem Cuidar de Mim

Campanha Vem Cuidar de Mim
Assine aqui o abaixo assinado!

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
armaduradocristao@gmail.com

Adoração ao Santíssimo

Adoração ao Santíssimo

Salmos on Line

Menino Jesus de Praga

Arquivos Obras Timbó